THEME

sex-ink-metal:

xxx

Hoje eu descobri o porquê de eu ser infeliz e que sempre serei, o motivo talvez seja clichê, porém verdadeiro.
A culpa é inteiramente dos escritores, dos roteiristas e só um pouquinho da minha mente, assumo a minha parcela na culpa. Todos os livros, filmes, series, músicas e textos românticos, toda essa baboseira de amor eterno e verdadeiro, amor puro, amor infinito, amor blá blá blá que a minha parte infantil e ingênua ainda quer acreditar, ainda quer idealizar que um dia eu terei isso, terei aquele romance complexo e intenso dos romances que eu cresci vendo.
Vivo fazendo monólogos desse momento, vivo querendo amar alguem intensamente e incondicionalmente e que esse amor todo seja correspondido, talvez fosse por isso que eu escrevia tanto, que eu me perco tanto em pensamentos infantis e inúteis. Talvez a vida seja sem graça mesmo, talvez eu nunca tenha câncer ou nunca aconteça uma invasão alienígena que nem eu imagino.
Vai ver que essa é a vida, que não exista nenhuma conspiração gigantesca e maligna, e que todos estão mesmo vivos e não num câncer.
O amor dos romances deve ser o amor próprio, eles estão escrevendo entre linhas e estamos tomando conclusões errados (nesse “estamos” digo eu e as meninhas de 10 anos que ainda sonham com o príncipe encantado, eu sonho com isso também mas por mim tudo bem se vier uma princesa) e esperando algo que nunca irá chegar.
Eu sempre disse que a minha mente é meu próprio veneno e só queria mudar isso, só isso porque lágrimas dão rugas e eu já estou ciente que serei a pessoa com mais rugas na face da terra. A boa notícia é que posso entrar no Guiness.
Me despeço só com um tchau, preciso parar de vez com o meu drama ou ele vai parar com a minha vida.

overdosedeamor:

— Ela

):